quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

NATAL GAUDÉRIO- LUCIANO CAMARGO MARTINS


Este é o formato original da poesia que não consegui publicar em tamanho maior.Mas segue abaixo em composição normal para ser melhor lida. Um grande abraço a todos.





Tchê, numa dessas tardes em que o sol tava se indo embora, e eu no meu matear solito, comecei a pensar. Estamos botando mais uma marca na existência da vida. Então decidi que
deveria mandar uma tropilha de palavras
pra ti, assim, poderia dividir com meus amigos,
esses devaneios de saudades desse tempo que já se
foi, pois já estamos no fim dessa etapa chamada de 2010.
Nisso me lembrei dessa tal de INTERNETCHE, achei que
seria fácil, era só camperiar por alguns SITES e já de pronto
acharia o que estava por campear. Me deparei com muita coisa da
buena, mas nada daquilo que eu queria te dizer, pois descobri que não
havia ali as palavras puras que minha xucra alma sente para falar contigo.
Por isso vivente te digo, com esse meu jeitão rude, que fiz tudo que pude.
Pra te dizer o que minha alma sente,  queria ter te encontrado todos os dias,
ter te dito, buenos dias, buenas tarde, buenas noite e tudo mais, mas, talvez
nos vimos tão depressa, no  afazer das nossas tarefas, que nem isso aconteceu,
pois o ano recém nasceu, e já está para acabar.  Mas peço ao Tropeiro do Universo, sim,
Ele que tudo pode, que nos traga sentimentos nobres, de amor e amizade. Que tenhas lembranças boas, por tudo que te aconteceu. Que o Menino que nesta data nasceu, nos ilumine todos os dias. Que renasça a alegria, para quem à perdeu. Que se a caso não te aconteceu, tudo aquilo que queria. Que não percas a alegria, o entusiasmo e a coragem, a vida é uma viagem, mas é nós que escolhemos
o caminho, espere mais um pouquinho, e tudo vai acontecer.
Um novo ano vai nascer, deposite nele tua esperança,  quem espera
 sempre alcança,
  diz o velho ditado.
Então, te desejo parceiro(a), amigo(a) junto com tua gente,  um Novo Ano maravilhoso,  de conquistas, alegrias, saúde, muiiiiiita saúde, paz e realizações.
Mas para que tudo aconteça, antes, se agarre na proteção do céu, agradecendo ao Pai Soberano, pois assim a cada ano, será feliz o teu viver, e em cada amanhecer,
Será como um NOVO ANO !!!Feliz Natal!!!
E um baaaaaaaita 2011, TRI feliz!!!!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

REVISTA O CUIDADOR- DEZEMBRO.2010




Novo ano para O CUIDADOR! O Ano III. Nesta edição, não perca o relato  de quem tem transtorno bipolar e de seus filhos. Informativos, emocionantes, contundentes, os depoimentos esclarecem. Assim como a crônica na metáfora do antiquário, o relato de quem faz nascimentos e o presente do verbo cuidar da avó filósofa. Leia matéria sobre cuidadores de idosos, o que fazer com os sentimentos ambivalentes. O papel da música.  E a dica de um filme imperdível neste tempo de Natal. Curta o novo espaço para você: divirta-se ao descobrir mais de si na Dica do leitor. Invente jogos ou brincadeiras. Envie pelo nosso portal e ganhará um brinde.
Quem se aproxima de nós traz em seu coração o verdadeiro espírito natalino, o que traz mudanças, muda padrões, gera nascimentos. Participe da nossa rede, acesse o seu portal http://www.ocuidador.com.br/.
Que o cuidado seja sempre como o Natal, um renascer da esperança que depositamos naquele menino tão singular e humano, e que resulte em ações concretas em 2011!
Marilice Costi

domingo, 12 de dezembro de 2010

O COMEÇO DO FIM DA MENTIRA

 
A revolta que corre nas redes sociais contra a detenção do fundador da WikiLeaks saltou ontem as fronteiras da Internet, saindo para a rua em dezenas de concentrações na Europa e América do Sul. Mas mesmo com Julian Assange fora de jogo, os jornais continuam a divulgar os telegramas da diplomacia americana - o último alvo foi o Vaticano, uma estrutura descrita como arcaica e avessa a ingerências.
Uma das primeiras manifestações ocorreu de manhã em Londres, onde Assange ouviu terça-feira ordem de prisão. O australiano é alvo de um pedido de extradição emitido pela Suécia, onde está a ser investigado por crimes sexuais, e um tribunal londrino decidiu mantê-lo sob custódia, admitindo que existia risco de fuga.
"A revolução digital começa aqui", gritava um dos cerca de 50 manifestantes que se juntaram em Hyde Park, desfilando depois em direcção à Embaixada dos EUA. Durante o percurso, repetiram-se slogans contra a prisão de Assange e o cerco à WikiLeaks.
Mais concorridas foram os protestos em Madrid e Barcelona, duas das cidades espanholas que responderam à convocatória do site Free WikiLeaks. "Pela liberdade, diz não ao terrorismo de Estado" foi o mote do grupo espanhol, que pediu à justiça que ao invés de acusar Assange "abra inquéritos contra os responsáveis que cometeram os graves crimes revelados nas fugas do WikiLeaks".
Ao final da tarde, Lisboa juntou-se ao movimento de apoio a Assange, numa concentração que juntou dezenas de pessoas no Chiado, noticiou a Lusa. Até ao final do dia, outras cidades seguiriam o exemplo, de Amesterdão, a São Paulo e Buenos Aires.
Entretanto, duas semanas depois de publicados os primeiros telegramas, foi ontem conhecida a primeira reacção do Presidente americano. Em conversas com o homólogo mexicano, Felipe Calderón, e o primeiro-ministro turco, Recep Erdogan, Barack Obama catalogou de "deploráveis" os actos da WikiLeaks e disse esperar que o caso não manche as relações bilaterais.
Mas a cada dia surgem novos embaraços, tanto para a diplomacia americana como para os visados nos telegramas. Ontem, o jornal Guardian publicava um extenso rol de informações sobre o Vaticano, como a pouco divulgada hostilidade de Bento XVI à adesão da Turquia à UE, ou a fobia da Santa Sé em relação às novas tecnologias. Mais lesiva será a revelação de que o Vaticano recusou colaborar com a investigação às denúncias de pedofilia na Igreja da Irlanda, considerando ofensivos os pedidos de esclarecimento que lhe chegaram de Dublin.
Já o El País, outros dos jornais a ter acesso aos telegramas, noticiou que os Estados Unidos consideram a Catalunha o principal centro do islamismo radical no Mediterrâneo, tendo mesmo criado, em 2007, um grupo de espionagem especial, a operar a partir do consulado de Barcelona. A preocupação, revelam telegramas agora divulgados, deve-se à presença de uma forte comunidade paquistanesa e marroquina naquela cidade.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

VELHO GAUDÉRIO.

                                    NA FOTO O  HOMENAGEADO E O POETA


 Alma Grande

Luciano Camargo Martins


Grandes almas nunca morrem,
Apenas se pulverizam
Em gestos que a eternizam
Nas almas doutros viventes,
E ficam, como sementes
Perdidas em solavancos,
Se encarreirando nos flancos
E se espalham nas enxurradas,
E nem carecem de enxadas
Pra se enterrarem, à espera,
Da volta da primavera
Pra renascerem floradas.
Homem grande, de alma grande
Mão aberta, peito aberto.
Amigo sempre, de estar por perto,
Nas horas vagas e nos apuros
Farol clareante no breu escuro
Que muitos dantes não compreenderam
Mas por instinto lhe concederam
O posto nobre, o grau maior,
Gravitam tantos ao seu redor
Que até parece amadrinhá-los.
Toreia os dias, soltando peálos
Cruzando rios, sem rumo certo.
O seu destino, andar incerto
Abrir picadas, seguir adiante
Cevar o mate, verde-espumante
Na madrugada, recém nascente,
Como um menino, se rir contente.
Seus mil defeitos e mil virtudes
Se contrapondo de forma rude
Faziam crer que era mais um
Prém no todo, era incomum:
De fibra nobre e humor tão raro,
Que inda sem norte, seguia o faro,
E inda que a morte, seu corpo leve
Conveça o dia, que a noite é breve!
Nas mil lembranças que tu deixastes
Tu'alma grande se vai ao longe,
Iluminando, por vez de um monge,
Por tantos anos, só chimarreando,
Altivo em posto, sempre bombeando
A barra larga do horizonte
Talvez um dia, ele nos conte,
Noutro Universo ou noutra Terra
Os seus segredos de sentinela
Onde é a nascente da sua fonte!
Ainda te encontro, velho querido
Para uma prosa,  um mate amargo
Não foi à toa, nasci Camargo
E meu destino, já trago ungido,
Desde menino, tenho aprendido
Com o exemplo da tua Ciência,
Tragando certo e com paciência
Cada braçada dessa carreira,
Fiquei mirando na cabeceira
Só na torcida e bem-querência!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

TÁ TUDO DOMINADO!


É verdade que operação cinematográfica que vimos não está completa. Longe disso. O estado não tem nem instituição decente para receber os 200 presos na operação, que dirá dos, aproximadamente, 20.000 jovens que vivem em situação de risco nas favelas do Rio. As polícias pacificadoras, uma boa idéia copiada do governo da Colômbia, são mal preparadas e possuem número insuficiente para funcionar.
O que estamos vendo é a confissão de 20 anos  de incompetência e, porque não dizer, de sem vergonhice, de governos municipais, estaduais e federais que deram as costas para o problema da favelização do Rio e do impacto da chegada das drogas.
Os mesmos governantes que passaram a mão nos bicheiros, que recebiam benesses dos bicheiros, não viram  que a mesma estrutura que distribuia os volantes, imediatamente se adaptou à distribuição da droga, quando ela se instalou nos morros, o local ideal para o crime, pertinho da cidade e longe dos serviços urbanos.
Millor Fernandes contou, no tempo do PIF PAF, da revista Cruzeiro que havia morrido um delegado de polícia, deixando na mais completa miséria, sua viuva, filhos, duas amantes e seis bicheiros.
Durante  os  últimos 20 anos, Fernando Henrique e Lula se acovardaram e não deram a real importância ao crime que era gestado nas favelas  do Rio de Janeiro, crime cevado pelos bons moços da sociedade carioca, que achavam o máximo dar uma "cafungada", um brilho, em suas festas de embalo.
Essa movimentação da polícia civil, militar, da marinha e do exército era necessária. Havia necessidade de dar um basta na sociedade paralela que sido criada. A população precisava sentir o império da lei e da ordem. As pessoas precisavam recuperar a cofiança nas instituições. O Rio de Janeiro não podia mais ficar de joelhos para os traficantes e para todos os criminosos, civis e militares, que se beneficiavam com o tráfico.
Agora, o caminho para recuperação da  cidade maravilhosa é longo e árduo. Necessita vontade política e vergonha na cara de todos, governantes e governados.
Se quisermos ser considerados uma sociedade adulta, de primeiro mundo, a hora é agora.
 
                                                                       José Contino Lisboa
 
Ps.: De onde saiu aquela estatísca de que 99% dos favelados é honesta? Não será 98%?. Olha o chute!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

PRECONCEITO


Mudanças
Mudar, para alguns, incomoda.
Relembrando, o 14 de julho de 1789, Queda da Bastilha, foi o dia adotado para comemorar a Revolução Francesa que, de forma violenta, pôs fim à monarquia e instituiu a Democracia como modelo de governo. É uma data, se não festejada, pelo menos alardeada como notória e benemérita no mundo ocidental.
Não há forma de governo perfeita, mas a menos injusta é realmente a democrática, desde que o povo que a adota tenha acesso ao conhecimento e seja educado para tal. Na democracia, em princípio, os direitos são iguais para todos cidadãos, e não só para alguns, ou seja, as oportunidades devem ser iguais para todos.
Recentemente, há apenas oito anos, fazendo uso deste direito, um ex-retirante nordestino chegou à Presidência da República.  – Soou inusitado – Sim, na cabeça de uma sociedade preconceituosa, era inadmissível: um semi-analfabeto tomar as rédeas da nação brasileira. O descontentamento se tornou tamanho que transbordou nas declarações da paulista, estudante de direito, Mayara Petruso - "Nordestino não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado!" – pondo às claras o sentimento de muito brasileiro.
Alguém poderá alegar que se trata apenas de uma garota inconseqüente; pois bem, poucos dias depois da ocorrência acima citada, um desastrado Luiz Carlos Prates, psicólogo(!), comentarista da RBS-SC, homem culto mas profundamente preconceituoso,  declarou claramente, só que em outras palavras (“Hoje, qualquer miserável tem um carro...”) , que o caos no trânsito é devido ao acesso do povo aos bens de consumo. Este anti-cidadão, 67 anos de idade!, está aí, pregando o ancien régime – velho regime – ao vomitar – em horário nobre! - sua sabedoria retrógada nos ouvidos de nosso povo através do mais penetrante meio de comunicação de Santa Catarina.
Toda mudança incomoda: é o reordenamento das coisas. Um povo inteiro, viciado em velhos hábitos, não se adapta de um dia pro outro - leva teeempo... Até para os beneficiários é complicado, que dirá para os que perdem regalias. O que pode ajudar é uma tomada de consciência, um certo desapego, um certo “valorizar o outro”, como pessoa  com mesmos direitos. Não dar esmolas e sim distribuir renda. No início assusta, mas, com o tempo, veremos que é o melhor caminho.
Toda mudança tem seu lado positivo; olhemos por este ângulo!
miguel angelo
 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Tem livro novo na praça. MEMÓRIAS DE UM FINGIDOR -do OLSEN JR.

     Indagado sobre porque escreve? Porque bebe?
          "Escrevo para tornar esta vida menos fuleira e bebo para manter a ilusão de que estou conseguindo."



     
É no Lindacap,cabeceira da  ponte Hercilio Luz, dia 30 apartir das 19h00. Vamos lá que o livro é espetacular.Talvez o livro do ano catarinense.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

LIVROS,LIVROS,LIVROS


Na Siciliano, e suponho que na maior parte das livrarias nacionais, os grandes escritores da língua portuguesa, Machado de Assis, Eça de Queirós, Lima Barreto, Raul Pompéia, Camilo Castelo Branco, etc, estão na estante de livros infanto-juvenis. Em literatura propriamente dita, você encontrará Paulo Coelho e Leminski. Esse pequeno fato diz muito mais sobre o Brasil e os brasileiros do que todos os tratados de sociologia.
               Fábio Danesi Rossi. no Digestivo Cultural.

sábado, 20 de novembro de 2010

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA NO BRASIL

"Em nós, até a cor é um defeito. Um imperdoável mal de nascença, o estigma de um crime."

              LUIZ GAMA, foi  um dos milhares de homens que lutaram para por fim a escravidão no Brasil.

          Luiz Gama, escravo fugitivo, conseguiu se alistar no exército onde pode estudar e se formar  jornalismo e direito, profissões que exerceu sempre com o fim único  da luta incansável pela defesa dos negros. As suas custas , conseguiu alforriar mais de MIL escravos.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

EU.VOCÊ.ELA.A MÃE. - DIA 05,06 E 07 TEATRO DA UFUSC.ESPETÁCULO IMPERDÍVEL.


FICHA TÉCNICA

texto
baseado em "EU.VOCÊ.MINHA VIZINHA. A MÃE"
de Marina Monteiro
Atriz
Raquel Stüpp
Concepção de luz, som e Direção Geral
Luciana Holanda
Direção de Arte e Figurino
Ligia Baleeiro
Cenógrafo
Dilamar Santos
Preparação Vocal
Janaína Martins
Edição de som
Rodrigo Ferrari
Fotos e Artes Gráfica
Ligia Baleeiro
Produção Executiva
Raquel Stupp
Realização
Irreal Produções Artísticas

Release

Em sua casa, ao se preparar para mais um dia de trabalho, Laura se olha no espelho e não se reconhece mais. Os questionamentos que surgem a partir daí compõem o monólogo “Eu. Você. Ela. A Mãe.”
Uma mulher totalmente entregue a sua vida cotidiana, tomada pela mecanicidade e superficialidade que imperam nos tempos atuais, que se dedica tanto ao trabalho, à família, à casa e aos amigos que acaba se esquecendo de si mesma.
Em meio aos dilemas afloram lembranças e traumas do passado. A amargura e o autoritarismo materno marcaram tanto sua infância que até hoje influenciam escolhas, relações, visão de mundo.
Entre as voltas ao passado e a angústia do presente, Laura se entrega a um mergulho íntimo e profundo tentando retomar as rédeas da sua própria vida.
O projeto, contemplado no Edital Elisabete Anderle de Estímulo a Cultura de 2009, é baseado no texto original da dramaturga Marina Monteiro "Eu. Você. Minha Vizinha. A Mãe".
A direção de Luciana Holanda confere à densidade do tema momentos de ironia e humor, dentro de uma proposta realista na qual a personagem explora o diálogo com o público em busca de cumplicidade.

PARA MAIORES INFORMAÇÕES.
 
Monólogo teatral EU. VOCÊ. ELA. A MÃE
Data: 05, 06 e 07 de novembro
Local: Teatro da UFSC
Endereço: Rua Vitor Lima, em frente a praça Santos Dumont - Trindade
Horário: 20hs30min
Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).
Blog: http://umespetaculo.blogspot.com/
Telefone pra contato: (48) 99013369
 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

ESPERANÇA E CORAGEM.

      NA ELEIÇÃO DE LULA A ESPERANÇA DO POVO BRASILEIRO VENCEU O MEDO. AGORA COM DILMA  A CORAGEM VENCEU O PRECONCEITO.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

POETA E EDITOR J.B.VIDAL ABRE SEU VOTO


POR QUE DILMA?
J B VIDAL
28/10/2010
O povo brasileiro, ao término dos governos do Presidente Lula, descobriu-se orgulhoso de
sua existência. É comentado e discutido fora das fronteiras geográficas e filosóficas.
É, hoje, respeitado como nação que produz riquezas e lidera a movimentação para a paz no
planeta.
O Brasil, hoje, caminha ao lado das grandes economias, discutindo o futuro com o peso da
sua moral ambientalista e do esforço para a erradicação da pobreza.
Todo esse presente, entretanto, custou muito caro aos brasileiros ao longo das décadas.
O caminho de mão dupla entre a Casa Grande e a Senzala foi construído com muito
sacrifício, dor e sangue, mas que, os brasileiros souberam suportar e superar em razão da fé
inabalável em Deus e no trabalho produtivo.
Tal momento grandioso é desprezado e odiado, aqui dentro, pelas organizações e pessoas
que se locupletam do estado brasileiro - e arrastam a trás de si uma parcela do povo
inocente e crédulo - pelas “heranças” decorrentes das capitanias hereditárias e mais
modernamente pela grilagem truculenta e as reservas de mercado – gerando atrasos e
sacrifícios. Até agora, Era Lula, o povo brasileiro era tido como “gente de terceira classe”, e
não somente os trabalhadores, as classes médias também, repudiadas algumas pela ameaça
de ocupar espaços reservados àqueles - hereditários e truculentos.
Enfim, o Brasil É.
Como dar prosseguimento a esta caminhada de crescimento econômico, social, intelectual,
tecnológico, de elevação moral e auto-estima? Como enfrentar as adversidades externas e
internas? Os interesses espúrios que nos rondam permanentemente montados na “grande
mídia familiar” sócia de todas as desordens?
Dilma, a intuição de Lula: “... quando a encontrei pela primeira vez, em uma reunião de
trabalho eu pensei: - esta é a mulher para comandar o Brasil, consolidar as conquistas e
avançar para um crescimento sem sobressaltos e sacrifícios –“
Dilma, a mulher, avó, mãe, amiga, inteligente, culta, ouvinte, forte, leal, competente,
decidida, corajosa, tranqüila e, comprovadamente, com grande amor por seu país e seu
povo.
Dilma, com uma história e um futuro que só o sonho de um povo sofrido pode formular, um
misto de Anita e Indira.
Por estas razões eu voto, convido meus filhos a votar pelos seus, meus netos, pelo povo
brasileiro, pelo Brasil – enfim uma Nação.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A paixão de experimentar - Ana Lucia Vilela



                                A PAIXÃO DE EXPERIMENTAR

Qualquer boca pode falar democracia. A ditadura no Brasil e em outros países já se justificou através do uso da palavra democracia. Mas democracia não é só palavra, democracia é uma prática que implica que as decisões sobre as formas da convivência devem ser tomadas pela coletividade, ou seja, por todos e cada um de nós. Alguém já disse que a política é o que nos divide acerca da forma sobre a qual vamos nos manter juntos. Desde que nos consideramos todos humanos (isso nem sempre aconteceu porque aos escravos africanos era-lhes negada a humanidade), nessa sociedade globalizada capitalista, vivemos todos juntos, nós, os japoneses, os ugandenses e os paquistaneses. E todos os outros.
Esse “juntos” é que é complicado. Pode ser mantido através da força. Pode ser mantido através do medo. Pode ser mantido através de um cotidiano colonizado pelo trabalho, pela televisão, pelo vídeo game e pelo celular. Mas, felizmente, de tempos em tempos somos chamados a discutir essas formas de nos mantermos juntos. Não só nas eleições, mas nas revoluções, nas greves, nas sublevações. Naqueles momentos em que sentimos que a forma de manter junto é a separação, como nos aparteids (onde brancos são considerados melhores que negros ou arianos melhores que judeus), nas ditaduras (onde aqueles no poder decidem a revelia da vontade da maioria), na exploração (onde há muitos que trabalham e poucos que usufruem), etc. Aí uma voz nos chama, e nos diz que há algo a fazer para mudar a forma pela qual vivemos juntos porque há muitas formas de viver junto que se apóiam na separação.
Houve momentos gloriosos no Brasil em que decidimos tentar viver junto de forma mais equânime, minorando a dor do outro e a nossa, apostando na felicidade e experimentando a felicidade de experimentar novas formas de viver. Experiências belas não apenas por seus resultados, mas pela vontade e ímpeto de experimentar o novo. Esse novo aconteceu algumas vezes na nossa história. Palmares é um exemplo. Revolta da catraca. A coluna Prestes. A luta pelo fim da escravidão. A Balaiada. Revolta dos tenentes. Sabinada. Revolta da chibata. Greves do ABC paulista.  Eleição de João Goulart. A votação pela volta das eleições diretas. Contestado. A passeata dos 100 mil. A eleição do operário e líder sindical Lula para presidente. E há muitos outros que nossa memória não deixa esquecer e que podem ser acrescidos nessa linda lista. Nesses momentos lembramos que não é qualquer paz que é aceitável, porque há sim, uma paz que se gera pela opressão, e Marcelo Yuka soube se interrogar e cantar "Qual a paz que eu não quero conservar, prá tentar ser feliz?"
São períodos históricos de profundas mudanças. Uns violentos, outros mais pacíficos. E todos nós já sentimos essa felicidade que não vem da certeza, mas da coragem de experimentar o novo. Quando dizemos não a um patrão abusivo, mesmo sabendo que o próximo período será difícil. Quando dizemos sim a um novo amor, mesmo sabendo o risco de perdê-lo. Quando mudamos de profissão porque a velha já não nos interessa mais. Quando ficamos grávidas mesmo sem ter as condições materiais necessárias. Nesses momentos a certeza declina ao chão, mas uma alegria inexplicável nos acompanha.
Eu trabalho na área da cultura e tenho visto, nestes últimos anos uma incrível democratização que vai até consultas públicas para formar as diretrizes das políticas culturais até a descentralização das verbas; vai desde o aumento significativo dessas verbas até a recente constituição do fundo para a distribuição das verbas de renúncia fiscal relacionadas à lei Rouanet. Eu não gostaria de retomar a discussão porque há muitos bons texto em que ela é feita. Os números e a política, na área da cultura não deixam mentir: o governo Lula foi o mais democrático, entendendo por democrático aquele governo no qual as políticas para cada setor são discutidas de forma igualitária entre os trabalhadores, os empresários, os usuários e consumidores deste setor e o governo. Vi o mesmo acontecer na educação e na comunicação.
O governo Lula teve a coragem de experimentar outro modelo de partição do produto social, (que é a riqueza gerada como resultado dos esforços de cada um e de todos). Essa coragem aumentou nossa certeza de que podemos mudar, de que não estamos predestinados, sentenciados, condenados a apenas uma forma de viver junto.
O que me parece fundamental na administração Lula, é o debate público, a instalação dos conselhos, a aposta no diálogo, a felicidade de descobrir que o nosso destino individual e coletivo nos é acessível.
Dilma é essa mulher cuja coragem é inegável. Dilma é a mulher que teve a coragem de errar e a coragem de acertar, “sem medo de ser feliz”. Coragem de não baixar a cabeça, coragem de, como disse Chico Buarque, "não falar fino com Washington nem falar grosso com Bolívia e Paraguai”. A coragem, enfim de assumir as responsabilidades pelo destino e de inventá-lo todos os dias. Essa é a arte, experimentar o novo, inventar novos destinos, novas formas de estar junto.
A felicidade não é a certeza do futuro. A felicidade é a certeza e a alegria na aposta de experimentar o novo.
DILMA É VOTO, ESPERANÇA E PRÁTICA DA ARTE E DA DEMOCRACIA. VOTO NA INVENÇÃO E NO NOVO.

Ana Lucia Vilela

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ESQUERDA X DIREITA. OPINIÃO DE MARGARETE AGUIAR



                          O que é ser esquerda e direita?
  Há pensamentos esquerdistas com componentes autoritários que se apressam em imprimir de ‘direita’ qualquer pessoa que se ‘desvie’ das concepções clássicas de esquerda, ainda que essa mesma pessoa tenha uma biografia de luta ao lado das causas populares, democráticas e ditas de esquerda. Marina Silva sofrerá com esse ‘ranço’ de setores da esquerda brasileira. Com essa preocupação de divisão, é possível que a história de vida da  mulher de luta, Marina Silva seja esquecida e reduzida simplesmente em ‘verde’ ou de ‘direita’. Por esse prisma, totalmente equivocado, um Delúbio Soares, por exemplo, é mais de esquerda e socialista do que a  ‘seringueira’ Marina Silva. Pode?
Nunca foi tão complexo como hoje, definir o que é esquerda e o que é direita.
Hoje, apoiam o PT figuras historicamente de direita como Collor, Sarney, Romero Jucá, Renan Calheiros, Henrique Meireles, entre outros. Pergunto:Agora eles são boas pessoas?Tudo que fizerem fica perdoado? Quem é mais direita, um Henrique Meireles filiado ao PT, PSB ou PC do B, ou uma Marina Silva filiada ao PV? É uma questão para ser refletida.
       Se os motivos que fazem você ser uma pessoa  de esquerda  é a luta pela construção de uma nova sociedade, de um ‘Novo Homem’ e se essa causa não vier acompanhada do respeito às diferenças, tolerância com o dissenso, combate à corrupção e um comprometimento com a questão do meio ambiente, você pode até estar em qualquer partido de esquerda, mas realmente de esquerda você não é.
Resumindo: Prefiro um democrata de direita à um tirano de esquerda. O fato de ser da Direita ou da Esquerda é algo relativo e não permanente, uma vez que um partido, por exemplo, pode estar de um lado em um momento e de outro em outro momento agindo conforme o jogo de interesses. Por isso, estas definições são simplificadoras e enganosas, uma vez que os valores de cada grupo podem se tornar bastante contraditórios.
Portanto, o que acredito e defendo são os valores individuais, que não têm lado. Sou do lado do pensamento livre, que não fica preso a defesas pré concebidas ( alheias aos fatos em si) e que se dá o direito de ser imparcial ao refletir sobre a atuação  de qualquer político dito de direita ou de esquerda que não passe pelo julgo  dos meus próprios valores.
       Desculpe me estender, mas essa é a visão que tenho de  cidadania, de desejo pela evolução do ser humano. Não compactuo com discriminação, com racismo, com defesa de uma única religião ou com qualquer tipo de divisão. Meus valores são de unificação e de respeito  a qualquer ser humano que faça por merecer, estando do lado que estiver. 
Um abraço.
Margarete

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Paulo Beringhs pede demissão AO VIVO



    Ainda tem jornalista sério. É raro mas tem.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

ESQUERDA X DIREITA


Para o filósofo Theodor Adorno,
"O que caracteriza a esquerda é o que iguala as pessoas.
 A direita, o que diferencia as pessoas."

domingo, 17 de outubro de 2010

Da série - Cercas.


 Acrilico sobre tela.esmalte sintetico,tela sobre tela.    1m30 x 1m02

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

TEMPOS FRÁGEIS- MARILICE COSTI

  Lembro que surpresa tive quando li pela primeira vez Saramago. A expectativa de uma leitura difícil e complicada se desfez em algumas páginas. Ficou só aquela surpresa maravilhosa de se ler algo escrito duma maneira simples  e  diferente. Tão simples e tão completo!  Tambem se repetiu em outras leituras,por exemplo João Noll,  José Cândido de Carvalho .  Cada um,  de seu jeito, nos pega pela maneira de escrever e contar sua história.  Numa atividade tão concorrida e repleta de talentos, é realmente muito bom  conhecer um novo estilo . Falei ESTILO  . Foi o que me aconteceu recentemente ao ler  Tempos Frágeis da Marilice Costi.  Espetáculo puro! Corte rápido ,seco, fundo sem sangue. Sem compaixão nem autocomiseração. Pequenos contos-crônicas .Com a síntese dum conteudo comprimido em pouco espaço sem perder absolutamente nada.Ou limitado ao essencial. Mas TODO o essencial.Com toda a emoção . Nada falta,nada sobra.  Aleluia Marilice !

terça-feira, 12 de outubro de 2010

PROGRAMA DO MES EM SÃO PAULO.


                           Para quem estiver em São Paulo nesta data, o show é imperdível.

VELAS NA LAGOA DA CONCEIÇÃO


acrilico sobre tela.  1m25  x  1m02

domingo, 10 de outubro de 2010

PERIPÉCIAS D'ALEM MAR - MIGUEL DIAS NA TURQUIA ÚLTIMA PARTE

  Há muitos anos vi uma foto em branco e preto do que seria “Catedral de Santa Sofia” em Istambul. Mais tarde fiquei sabendo que não se tratava mais de catedral e sim de uma mesquita; agora, apenas um museu. Tal foto me impressionou pela grandiosidade e senti desejo de conhecê-la.
      Então, nada me impelia a conhecer o povo turco que, para mim ainda soava como algo negativo. Criei-me em Rio Grande, perto da Rua 24 de Maio onde havia uma série de lojas de “turcos”, na verdade sírio-libaneses. É que “turco” era um nome genérico lá usado pra todo árabe, e continha algo de pejorativo. Se seguirmos a história de minhas raízes portuguesas e de minha criação pequeno burguesa, logo entenderemos a fonte deste preconceito em que fui criado.
            Com o passar dos anos, fui me interessando mais pelo assunto “povo”, no caso, o povo brasileiro, historicamente tão mal assistido. Meu interesse por conhecer Istambul era, ainda, reduzido ao efeito que tal foto produzira em mim. Já mais recentemente, passei a ficar curioso do povo que estaria por traz da mesma; comecei a imaginar a mistura de raças e costumes nesta conjunção Europa/Ásia e, desde o início deste ano, comecei a me preparar mentalmente para a aventura de decifrar este povo que sempre me surgira como vilão (filmes “Expresso da Meia Noite”, “Laurence da Arábia” e talvez algum outro de que não me lembre).
            Vim primeiramente para Lisboa, onde mora minha filha Letícia, a quem eu havia convidado para me acompanhar nesta vinda a Istambul, pois não me animava a me aventurar sozinho por terra tão estranha. Letícia, que acabara de passar um mês no Brasil, visitando a Amazônia, não estava a fim de mais uma viagem. Sentindo-me amedrontado com a idéia de vir sozinho, meio que adoeci (resfriado), senti dor no tornozelo direito... mas passados uns dias, melhorei e disse: “Vou, sozinho mesmo!”
            E aqui estou na maior disposição, comprovando que mais vale o estado de espírito. Ontem, terça-feira, acompanhado de Onur, turco, amigo de uma amiga de Letícia e que, além da língua turca, sabe um pouco de inglês (mais do que eu), dei uma volta pelas redondezas da Torre Gálata, culminando com a subida da torre. O passeio foi incrível por vários aspectos. Primeiramente que nunca havia passado tantas horas seguidas tendo que me comunicar em inglês; valeram-me as aulas com o Cristian, mas mesmo assim faltavam vocábulos, e Onur nem sempre sabia. Acrescente-se a isto meu interesse por assuntos subjetivos tais como a própria religião de Onur, que é muçulmano mas nem tanto, segundo o que entendi; está acontecendo o Ramadã e ele ora o leva a sério, ora não.
            Onur é percursionista e, para visitarmos a torre, levou-me por uma rua com uma infinidade de lojas de instrumentos musicais; pelo menos cem metros só de tais lojas, com alguma exceção, e isto dos dois lados da estreita rua. Vi uma loja só de tambores do tipo que ele usa; como qualquer tambor que se preze, eles tem coro onde se bate, mas o corpo é de cerâmica. Ao voltarmos da torre, levou-me à escola onde ele estuda e pratica sua arte; lá estava o professor e mais dois alunos, ensaiando à meia luz numa sala acusticamente isolada: os sons são incríveis. E ainda há quem diga que percursionista não é músico. Pouco antes, na rua, assistira e filmara um músico tocando harpa turca acompanhado por outro ao vilão: lindíssimo!
   A torre Gálata, construída pelo rei de Bizâncio em 528, foi tomada pelos turcos otomanos em 1453, quando estes derrotaram os bizantinos e passaram a dominar o Estreito de Bósforo, que é um ponto da fronteira entre Europa e Ásia, antigo caminho das caravanas que levavam especiarias do oriente para o ocidente. Para quem não sabe, os turcos passaram a impedir a passagem das caravanas e isto foi que levou os portugueses, então primeira nação organizada com suas naus para enfrentar o “Mar Grande”, a tentar chegar às Índias contornando a África. Tal data, que quase coincide com a invenção da imprensa (1439) por Gutenberg, é, pelos historiadores, apontada como o fim da Idade Média e início da Moderna. Esta torre ficou sendo uma espécie de símbolo da conquista, pois, segundo me contou Onur, o então imperador do império bizantino, vendo-se muito inferior em forças para resistir, cedeu graciosamente a cidade, poupando-a.
            Segundo está no ingresso (15 liras turcas), a torre tem 61 metros de altura e 140 acima do nível do mar (no Google está tudo diferente!); é construída de pedras brutas amalgamadas (isto eu vi) e tem um elevador que dá acesso a um restaurante chic lá no alto; sobe-se uma escada e há outro restaurante; no mesmo nível, sai-se e há um passeio estreito, protegido por uma grade e que contorna a torre. Muito turista, mas a vista, que abrange o Bósforo, o Corno Dourado e a velha Istambul, é espetacular; vale o aperto.
                                                           MIGUEL OLHANDO O BÓSFORO
            Hoje, finalmente, visitei o Museu Hagia Sofia (do grego: Sagrada Sabedoria). Foi reconstruída (no feminino, pois foi catedral e, posteriormente, 1453, mesquita) entre 532 e 537 pelos bizantinos. É uma construção bem envelhecida, com seu piso, todo em mármore, com bastantes desníveis e algumas colunas visivelmente inclinadas. Atualmente está sendo restaurada (UNESCO?), pois os turcos, negando o cristianismo, haviam encoberto com emplasto todas imagens cristãs (vide Google, se quiser saber mais). Ainda bem que não retiraram os mosaicos, que ainda apresentam algo, podendo ser restaurados. A construção é monumental; para se ir a um nível superior, donde se vê todo interior por cima, sobe-se por uma seqüência de rampas (ao invés de escadas) com paredes de tijolos sem revestimento: um túnel mal iluminado e um tanto tenebroso.
.           O dia de hoje amanheceu chuvoso. Cansado de ontem, achei ótimo e fiquei pelo hotel, organizando as coisas e iniciando este escrito. Pensando na possível ida ao interior de Sofia e me sentindo mais inclinado para assuntos subjetivos a respeito do povo turco, pareceu-me que eu não me ia surpreender ao ver a velha catedral/mesquita, primeira inspiradora de minha vinda até aqui. À tarde prometia chover mais mas, já descansado, resolvi sair assim mesmo e esperava ver o interior do prédio um tanto escuro. Saí, tomei o trem, começou a aparecer o Sol e fez-se uma linda tarde fresca, e isto me proporcionou uma visita perfeita, com ótima luz do entardecer para mudar todo meu estado de espírito que, repentinamente, se deslumbrou diante de tanta grandiosidade, tanta ostentação, fruto da vaidade humana.
            A obra é realmente monumental e ninguém a pode olhar, ver, e ficar indiferente.
            Quanto ao povo turco... Bem, depois eu conto!
            miguel angelo

sábado, 25 de setembro de 2010

SARA X BRASIL



                                             O Globo
A americana Sarah Shroud, recentemente libertada após 14 meses presa no Irã por suspeita de espionagem, foi nesta terça-feira à sede da Missão Brasileira na ONU, em Nova York, agradecer pessoalmente ao ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, o empenho do governo brasileiro por sua libertação.
Segundo a americana, Lula comentou o caso com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, quando esteve em Teerã.
O resto da materia no jornal O GLOBO DE   24 DE SET./10

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Fábrica de sonhos.

Belo quadro de Marcia Cattoi

MULHERES-

                                                                                             di Cavalcanti


O jornal inglês “The Mirror”, publicou uma lista com as mulheres mais inteligentes da atualidade :
1 - Madonna - além de ser a maior artista feminina de todos os tempos. Madonna sempre colocou em prática o seu Q.I. de 140, um dos mais altos entre as mulheres de nosso tempo. Escritora, diretora, empresária, produtora, fazem um todo que forma a mulher mais importante do século passado e desse. Biógrafos dizem que Madonna chega a ler 3 livros por dia de diversificados focos, desde ciências naturais até política e religião, conseguindo debate-los com profundidade após a leitura.?
2 - Natalie Portman - é psicóloga, aprendeu sozinha o alemão, hebraico, francês e classic greek. Atualmente, Portman desenvolve um estudo científico, dos mais importantes e contundentes, sobre espiritualidade e vegetarianismo. Ela é uma das maiores conhecedoras da bíblia em várias línguas. Natalie possui um troféu que recebeu em Harvard por seus trabalhos envolvento a mente humana e os símbolos oníricos.
3 - Jodie Foster - foi a melhor aluna do curso de Literatura da Universidade de Yale em todos os tempos. Jodie é conhecida por ler seus textos uma única vez e repetí-los com exatidão. Em 1998, quando professores de Yale discutiam a modernização da “Constituição dos Estados Unidos da América”, Foster foi convocada para o projeto como examinadora e orientadora.
?
4 - Lady Gaga - autodidata em piano clássico, Stefani era uma aluna exemplar. Ela possui um mosaico, que carrega por toda parte, contendo colagens e frases sobre tudo que quer conquistar em sua vida. Segundo Rich Cohenn, estudioso das estrelas, Gaga estuda minuciosamente a história da arte moderna, os artistas modernos e desenvolve seu trabalho a partir disso. Conhecedora profunda da arte de Madonna, David Bowie, Kraftwerk e Andy Warhol, em 2001, Gaga teve seu primeiro encontro com Madonna em um clube dos Estados Unidos da América, onde após isso teve a certeza do que queria fazer em sua vida.?
5 - Athina Onassis - Athina Hélène Roussel, mesmo sendo bilionária de nascimento, tornou-se doutora em história da arte e empreendedora de sucesso. Athina é fluente em inglês, francês, grego, espanhol e alemão, além de arranhar o iídiche. Onassis é apaixonada por cavalos e mantém duas fundações que estudam a melhoria da Síndrome de Down com a equitação

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Grandes Verdades



Uma noite, um velho índio contou ao seu neto sobre a
guerra que acontece dentro das pessoas.
Ele disse: 'A batalha é entre dois 'lobos' que vivem
dentro de todos nós'.
Um é Mau. É a raiva, inveja, ciúme, tristeza,
desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa,
ressentimento, inferioridade, mentiras, orgulho falso,
superioridade e ego.
O outro é Bom. É alegria, fraternidade, paz,
esperança, serenidade, humildade,
bondade,benevolência, empatia, generosidade, verdade,
compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô:
- Qual lobo vence?
O velho índio respondeu:
- Aquele que você alimenta....

Grandes verdades -

"Um mapa-múndi que não inclua a utopia, não é digno de consulta, pois deixa de fora as terras a que a humanidade está sempre apontando." (Oscar Wilde)

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Era uma vez no Pântano dos Gatos


OFICINA PERMANENTE DE TEATRO-OPT, APRESENTA:

Era uma vez no Pântano do Gatos             
De Marina Carr
Dias 23, 24, 25 e 26 de Setembro, 21.00
Teatro da UFSC
Tradução : Alinne Fernandes (Queen´s University Belfast, Santander Universities Network)
Direção : Carmen Fossari
Uma rara oportunidade do público de Florianópolis e estudantes de Teatro conhecerem a Dramaturgia da escritora Irlandesa mais influente da Irlanda Contemporânea Marina Carr.
Nos dias 23,24,25 e 26 de Setembro às 21.00, no Teatro da UFSC será apresentada a peça: Era um vez, no Pântano dos Gatos.
A concepção da direção ambientou a peça, num clima que evoca um pântano, usando para tanto vários recursos a saber:
Iluminação indireta ao meio do público, clima com efeitos de um fog entre platéia e palco, figurino todo ao clima Vintage. Inserção de vídeos e um Coro que realiza a sonoplastia ao vivo.
O inusitado deste trabalho cênico está no fato de que a partir do corpo
e voz dos atores são recriados sons da natureza ao mesmo tempo que os corpos adquirem texturas cenográficas, da natureza vegetal encontrada nos Pântanos.
Todo trabalho vocal está a cargo da Professora de Técnica Vocal da Oficina Permanente de Teatro a música e compositora do Cravo da Terra Ive Luna, o trabalho corporal é coordenado pela atriz e bailarina Mariana Lapolli, que recém interpretou a personagem Irmã Celeste, filha de Galileu Galilei, na peça AS LUAS DE GALILEU GALILEI. O ator Nei Perin que interpretou Galileu integra o CORO CORPO VOZ.
O TEXTO:
O terceiro de uma Trilogia de Marina Carr aborda a temática de uma mulher a Ester Cisnéia, origem cigana, que vive num Pântano ao momento em que seu ex companheiro, o Cartageno, a abandona e está se casando com uma noiva mais jovem e rica Caroline, filha do proprietário das terras adjacentes ao Pântano, Xavier Cassidy.
Ester Cisnéia vive a margem de todos os afetos, reproduzindo o clima trágico de Medéia, embora o texto contemporâneo traga elementos do realismo fantástico, mesclados com personagens absurdamente histriônicos como a Sogra Mattanora, que vai ao casamento do filho Cartageno, vestida de noiva.
A autora em sua primeira fase seguiu a linha do teatro de Samuel Beckett, do Teatro do Absurdo, mas foi na linha do Realismo Fantástico que obteve pleno êxito com sua dramaturgia.

ELENCO:
Alê Borges – XAVIER CASSIDY
Ana Paula Lemos Souza - ESTER CISNÉIA
Antonieta Mercês - DONA MATTANORA
Cristiano Mello –AQUELE QUE ESPREITA ALMAS
Neusa Borges- MULHER GATO
Douglas Maçaneiro -CARTAGENO MATTANORA
Flora Moritz -JOSIANE MATTANORA
Simão Grubber- PADRE WILLOW
Marcia Cattoi – CAROLINE CASSIDY, A NOIVA
Marlon Casarotto - GARÇOM
Nathan Carvalho- GARÇOM
Roberto Moura – O FANTASMA DE JOSÉ CISNÉIA
Lechuza Kinski -MONICA MURRAY -A VIZINHA
CORO CORPO VOZ: Mariana Lapolli, Nei Perin, Bruno Leite, Muriel Martins, Rubia Medeiros, Silmara Grubber, Vanessa Grubber e Adenilse Venturieri

TÉCNICA:
Trabalho de Voz: IVE LUNA
Trabalho Corporal : MARIANA LAPOLLI
Professores da OPT: Augusto SOPRAN , ALEXANDRE PASSOS , SÉRGIO BESSA , IVE LUNA e CARMEN FOSSARI.
Operador de Imagens: IVANA FOSSARI
Luz, Figurino: CALU
Efeitos:O GRUPO
Pesquisa Musical: SÉRGIO BESSA
Estagiário Assistente de Direção: Marlon Casarotto
Fotografia: Alinne Fernandes, Israel e Carmen Fossari
DIREÇÃO GERAL: CARMEN FOSSARI
Produção : PESQUISA TEATRO NOVO
Apoio: DAC-SECARTE
SEMANA DE ARTE OUSADA-UFSC-UDESC-2010
INFORMAÇÕES BLOG:
http://www.carmenfossari-armazemdapalavra.blogspot.com/
Fone DAC: 3721-9349

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Peixes


                     Acrilico sobre tela.   1m00  x 0m80

sábado, 11 de setembro de 2010

Sergio Aspar e as baleias dos Açores- sul da ilha de Florianopolis

    Fazia bastante tempo que desejava fotografar as baleias me aproximando lenta e silenciosamente de caiaque, mas não tinha o equipamento necessário: uma câmara submarina. Hoje, isto não é mais problema e aproveitando este belo feriado de sete de setembro, acerquei-me de duas femeas e seus filhotes na praia dos Açores no sul da ilha de Florianópolis. Mesmo sabendo que os animais são dóceis e vagarosos, várias vezes me deu um frio na barriga por chegar tão perto, principalmente quando um dos filhotes veio me olhar de mais perto. Fiquei pensando: e se ele resolve "brincar" de jogar bola comigo agora. Felizmente foi só uma boa experiência, principalmente porque um deles tem características de albino o que é muito raro. Ainda encontrei um lobo marinho calmamente descansando com as nadadeiras para fora d'agua.





quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Amigos.

Tem uns manezinhos da ilha que gostam de incomodar ! O Sérgio Murilo é um dêles. Não tem paradouro.Tá sempre viajando e inticando com os outros. Aqui ele na terra do Lampião,fantasiado de cangaceiro



E aqui,ele já tomou conta do buteco em  SÃO PEDRO DE ALCANTARA DE ITABAPUANA e já passou pra trás do balcão .



Aliás,vendo este bolicho,lembrei de um outro,que reproduzo abaixo.

Tio Anastácio


Autoria: Jayme Caetano Braun



Entre a Ponte e o Lajeado
Na venda do Bonifácio
Conheci o tio Anastácio
Negro velho já tordilho;
Diz que mui quebra em potrilho,
Hoje, pobre e despilchado,
De tirador remendado
Num petiço douradilho...


Quem visse o tio Anastácio
Num bolicho de campanha
Golpeando um trago de canha
Oitavado no balcão,
Tinha bem logo a impressão
Que aquele mulato sério
Era o Rio Grande gaudério
Fugindo da evolução!


A tropilha dos invernos
Tinha lhe dado uma estafa,
E aquela meia garrafa
Dentro do cano da bota
Contava a história remota
Do negro velho curtido
Que os anos tinham vencido
Sem diminuir na derrota!


Mulato criado guacho
Nos tempos da escravatura
Aquela estranha figura
Na vida passara tudo;
Ginetaço macanudo
Já desde o primeiro berro
Saia trançando "ferro"
No potro mais colmilhudo!


Carneava uma rês num upa
Com toda calma e perícia!
Reservado e sem maílicia,
Negro de toda a confiança,
Bemquisto na vizinhança,
Dava gosto num rodeio,
De pingo alçado no freio
Pialando de toda a trança.


Tinha cruzado as fronteiras
Da Argentina e do Uruguai;
Andara no Paraguai,
Peleando valentemente,
E voltara humildemente
Como tantos índios tacos
Que foram vingar nos Chacos
A honra de nossa gente.


Caboclo de qualidade
Que não corpeava uma ajuda,
Na encrenca mais peleaguda
Sempre conservava o tino,
Garrucha boca de sino
Carregada com amor
E um facão mais cortador
Do que aspa de boi brasino!


Porém depois que os janeiros
Foram ficando à distancia,
Andou de estância em estância
E foi vivendo de changa:
Repontando bois de canga,
Castrando com muita sorte,
E em tempos de seca forte
Arrastando água da sanga ...


Ficou sendo um desses índios
Que se encontra nos galpões
E ao derredor dos fogões
Fala aos moços com paciência
Do que aprendeu na existência,
Ao longo dos corredores,
Alegrias, dissabores,
Curtidos pela experiência!


Tio Anastácio p'ra aqui;
Tio Anastácio p'ra lá...
Mandado mesmo que piá
Por aquela redondeza;
Nos remendos da pobreza,
Entrava e passava inverno,
Como um tronco, só no cerno,
Pelegueando a natureza!


Por isso é que nos bolichos
Só se alegrava bebendo,
Como se cada remendo
Da velha roupa gaudéria
Fosse uma sangria séria
Por onde o sangue do pago
Se esvaísse, trago a trago,
Por ver tamanha miséria!


E até parece mentira
- Negro velho de valor -
Morreste no corredor
Como matungo sem dono;
Não tendo nesse abandono
Ao menos um companheiro
Que te estendesse o baixeiro
Para o derradeiro sono!


E agora que estás vivendo
Na Estância grande do Céu
Engraxando algum sovéu
P'ra o Patrão velho buenacho,
Não te esquece aqui de baixo
Onde a 'lo largo- inda existe
Muito xiru velho triste
Como tu, criado guacho!  .

Antoine De Saint-exupery


"Tudo que o homem ignora não existe para ele, por isso, a criação se reduz, para cada um, ao tamanho do que abrange o seu saber" - Le Petit Prince

sábado, 4 de setembro de 2010

PEIXES -

                  Acrilico sobre tela. 143m00 x 101m00  dilamar santos

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

PERIPÉCIAS D'ALEM MAR - MIGUEL DIAS NA TURQUIA.




Por dificuldades com fotos, ontem, só hoje, 310810 envio. Não altero o texto por falta de tempo. O texto que segue, foi escrito ontem.

Istambul

Andei sumido... também pudera. Viajei, fiquei com dificuldades pra sinal de internet, passei duas semanas em Lisboa, e agora, já em Istambul, venho à tona. Cheguei aqui ontem à noite; minha bagagem despachada, na qual estava o micro, a Ibéria, Cia. aérea, extraviou. Aceitei a perda, pensando que seria definitiva. Como trouxera, à mão, algumas roupas pelo medo de que esfriasse demais no avião, não fiquei tão despreparado; de bermuda e "havaianas" com bandeira brasileira, aventurei-me sozinho: não foi tão difícil.

Primeiramente andei a pé pelas redondezas do hotel para me ambientar e adquirir confiança para ir mais longe; descobri, aqui perto, uma casa que vende só frutas passas. Aproveitei e comprei figos e tâmaras "fresquinhos", deliciosos, que foram meu principal alimento durante o dia. A seguir, e segundo as dicas de um funcionário do hotel, fui visitar a Mesquita de Sofia, que só vi por fora porque nas segundas feiras não abre, mas visitei, logo ali perto, a Mesquita Azul, da qual mando fotos. Há quem ache esta "mais" que a de Sofia, que pretendo visitar amanhã.
 
 


 
Para lá chegar fiz uso de uma espécie de bonde, mas que chamam de trem (pelo menos é este o som; não sei se é em inglês train), que anda no meio do trânsito como bonde mas tem, de longe em longe (menos freqüentes do que pontos de bondes) estações com roletas de entrada, que se liberam com umas fichas vendidas perto das estações. É uma espécie de metrô de superfície, sobre trilhos, com portas automáticas, e ao preço de 1,5 LT(lira turca, de valor pouco maior do que o Real) por viagem.


Pelo que observei, há muitas mesquitas nesta cidade; bem pertinho daqui há uma.

A Turquia não faz parte da União Européia mas tem convênio com o Brasil, permitindo a entrada de brasileiros sem visto prévio (só exige na entrada).

Aqui é um mosaico de cores e tipos, o tradicional e o novo se misturando: um mundo em transformação. Muitas mulheres com mantos (nenhuma burca ou véu no rosto) mas muitas modernas. Algumas, não poucas, usam uma espécie de gabardine (pra quem não sabe, é aquele casaco do Sherlock Holmes) de cores claras, e isto sobre calças jeans: neste calor! Mas não parecem tristes. Não conheci isto antes, mas creio estar havendo por aqui uma liberação das mulheres. Muitas turcas se vestem e agem como as ocidentais. Há ainda mulheres de preto, mas são poucas. (Em Lisboa sumiram as de preto).

Por hoje, paro por aqui e mando algumas fotos. Ah, ia esquecendo, ao chegar de volta, minha bagagem estava me esperando; fora danos na maleta do micro, tudo em ordem!

Abraços e até a próxima!

miguel angelo

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O CUIDADOR 11 - ano ll


O CUIDADOR________orgulho de ser

A sua revista! cursos*treinamento*consultoria*informação*orientação jurídica*literatura*produtos*arteterapia*divulgação do seu cuidado...

23/08/2010O CUIDADOR 11 - Ano II
EDITORIAL

Quais os deveres e as obrigações de um cuidador? Como contratar?

Existem pré-requisitos para esta atividade: ter empatia. Qual o limite necessário?

O que é coaching? Conheça outro modo de cuidar no depoimento

de um brasileiro-israelense que cuida de pessoas com câncer.

E saiba do direito do pai durante a licença gestante.

Um desastre climático provoca mudanças nas pessoas.

Construir-se ou paralisar devido ao pânico, à perda de referências?

Tantas coisas ocorrendo em áreas urbanas: enxurradas, enchentes, estiagem, alagamentos.

Saiba mais sobre os profissionais que atuam nas áreas públicas, os cuidadores amordaçados.

Ao redor de uma sociedade cada vez mais adoecida e agressiva,

temos milhares de cuidadores invisíveis. Saiba também sobre a Defesa Civil.

Em tempos de eleição, quem se preocupa com o voluntariado?

Escolha bem, lembre da importância das decisões políticas e da importância do seu voto.

Quantas pessoas lutaram para que tivéssemos direito de escolha? Valorize as conquistas sociais.

Confira a experiência de médicos mergulhadores durante o tsunami.

A vida profissional e pessoal alteradas após a gigantesca onda.

Assim como o encontro das lobas do Rio de Janeiro, o poder do grupo e da afetividade, a nossa capa! Quem sabe a ideia dessas mulheres especiais se dissemina pelo país?

Orgulhe-se de ser cuidador, porque quem cuida – mesmo sem gostar do que faz,

mesmo dividido em seus sentimentos, mesmo cansado – está exercendo a humanidade.

E é no sorriso de quem cuidamos que também encontramos o valor da vida.
Também precisamos de você! Estimule os amigos a compartilharem suas histórias,

divulgue a revista em sua escola, igreja, ONGs, grupos, associações e clubes.

Pergunte da revista nas livrarias, nos supermercados, nas revistarias.
Seu lugar também é em salas de espera. E assine para orientar o seu cuidador,

converse com ele sobre as matérias. Apoie esse projeto

que envolve tantas pessoas que querem cuidar de você!

Marilice Costi,

editora-chefe

editora@ocuidador.com.br

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

EU. VOCÊ. ELA. A MÃE.


Estávamos lá na primeira fila. Na estréia. Cenário lindo ! Enxuto,perfeito !A peça,baseada num texto da dramaturga Marina Monteiro, meio pro absurdo, dá conta de uma mulher que monologa, e fala de sua relação com a mãe, marido,filhos, amigos e com seu animal de estimação. Um cacto ! A atriz, Raquel Stüpp, interpreta Laura a unica personagem , toma conta da cena e por quase uma hora nos diverte e emociona !    Um monólogo não é uma coisa fácil ! Mantê-lo interessante  , cada vez mais atraente num crescendo do começo ao fim,só com muito talento . É o que tem de sobra Raquel dirigida pela competentíssima Luciana Holanda. Espetáculo maravilhoso! Quem puder, vá ver.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

PRINCESA SHERAZADE .



A  Imperdível e Maravilhosa  Princesa Sherazade ( Luana Mello)  Dançando no Tri Mix Cabaret em São Paulo !

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

DILMAinterv




Depois de participar de um debate pela internet, Dilma aproveitou o cerco dos jornalistas para reiterar uma importante mensagem ao país: O governo entrou no circuito da grande rede, recuperando as fibras óticas, e vai baratear o custo e ampliar a capacidade de transmissão de dados, voz e imagem.



A mensagem de Dilma não poderia ser mais certeira, já que o governo Lula teve a coragem de recriar a Telebrás para cuidar do Plano Nacional de Banda Larga, que as telefônicas recusavam levar adiante, sempre alegando que o retorno não cobria o investimento. No ambiente certo, Dilma mostrou a relevância do papel do Estado na universalização da banda larga para garantir acesso rápido e barato a todos os brasileiros, o que as teles não asseguram até hoje, mesmo cobrando o que querem pelo serviço.
Dilma não deixou de apontar de quem é a responsabilidade pelo atraso do país no acesso a banda larga. “Nós tivemos um tempo muito grande para conseguir recuperar fibras óticas que o governo Fernando Henrique tinha entregue para uma empresa chamado Eletronet, mas agora que estamos de posse delas vamos não só baratear a internet, mas garantir que tenha uma imensa capacidade para transmitir voz, vídeo e imagem.”



Taí mais uma boa pergunta pro Serra. Por que o governo FHC, do qual participou ativamente, achou que uma empresa privada seria melhor que o Estado na execução de um plano nacional da banda larga? E por que a realidade provou o contrário?



Dilma avisa: Governo vai baratear internet

Dilma avisa: Governo vai baratear internet

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eu.Você.Ela. A mãe.

domingo, 15 de agosto de 2010

PATONAUTA


          Blog novo na blogosfera. Trata-se de uma criação do Rudi Bodanese. Ponto de encontro dos patobranquenses nativos ou adotivos. Notícias da terrinha ,assuntos culturais, memória e humor.Mais uma tacada certeira do Rudi. Longa vida é o que lhes desejamos.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

MARCHETARIA

Marchetaria como todo mundo sabe, é um trabalho feito com paciência,conhecimento e sobretudo,arte.Teoricamente feito com madeira.Mas como o mosaico,também pode ser feito com outros materiais .O Julio Barros usa madeira. O Aldo Votto, palavras. Seguem duas belas amostras .



MARCHETARIA



Aldo Votto


E assim vou me fazendo,
Elegendo os pedacinhos
Daquilo que um dia foi um todo


Separando aqueles que não gosto
Para usar só nos cantos da alma
Lustrando os mais bonitos para revelá-los sem pudor


E justapondo-os; não como quero,mas como posso
O mais claro e o mais escuro,lado a lado,
dando forma e concretude à sentença
De que uns não existem sem os outros
E de que o conjunto é maior
Do que a simplez da soma das partes.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

POEMETO EM (V)ÃO.




poemeto em (v)ão

                        Luciano Camargo Martins


eu  vejo  essas matas com dor no coração
eu penso nesse povo e vou na escuridão
eu sinto  nas sua pele a dor e a mansidão
eu conheço a sua história de amor e de paixão
eu  ajo  com a urgência de paz e imensidão
eu confio  na esperança com fé sem religião
eu  sou  mais um na vida dos tantos que assim se vão!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Alexander Calder performs his "Circus" - Whitney Museum



Alexander Calder. Engenheiro,pintor,ilustrador e escultor.Americano,
estabeleceu-se na Paris de 1926.Um dos grandes escultores modernos
e um dos primeiros a ousar o movimento,criando peças móbiles.Esta re presentação artistica do circo,era assistida pela nata dos artistas e intelectuais parisienses.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

- PORTO ALEGRE -

trabalho da DR 50 VIDEO COMUNICAÇÃO. Uma apresentação do que existe de bom em Porto Alegre.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

OX- O boi que não é de mamão- A saga para a instalação do Estaleiro da EBX no litoral Catarinense--segundo a visão de GERT SHINKE

                                                  A SAÍDA ELEGANTE

A forma como empreendimentos dessa natureza
tem saído de cena no Brasil são dignos de filmes de pós-apocalipse holivudiano: terra arrasada; populações miseráveis largadas à própria sorte; imensurável coleção de destroços, ruínas e um mar de passivos tóxicos, ingredientes de cenários comuns por todos os cantos. Muitos anos mais tarde, talvez, depois que esses “passivos” já foram amalgamados pelo tempo, áreas contaminadas viram áreas de lazer nas periferias (embora normalmente ainda tóxicas), a custa de vultosos investimentos do poder público. Como sempre, lucro privatizado, custo socializado. Afinal, você também não é sócio de alguma empresa X ? Bastaria que algum poço em águas marítimas explodisse para suspender parte das vultosas encomendas da “nossa” eco-petrobráx, e imediatamente os investimentos programados para a construção da frota de petroleiros tomariam outro rumo. O risco de retorno do investimento o capitalista joga sobre as costas da população e do Estado, ambos tomados como reféns da chantagem sócio-econômica que só tem um único ganhador garantido – ele próprio. 

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

quinta-feira, 29 de julho de 2010

COINCIDÊNCIAS & AMIGOS


        Terminei o cenário da peça Eu.Você.Ela.A mãe. A diretora da peça , Luciana Holanda ,

me perguntou quem poderia transportá-lo, lembrei na hora, claro :   Transporte de cenário é com o Hilário Mineiro, 


 
dono da Cena em Transe. Empresa especializada que só faz isto. Quando falei seu nome, ela ficou muito feliz pois conhecia  Hilário e a excelência de seu trabalho, lembrou seu jeito sempre bem humorado e que, inclusive já tinham viajado juntos com uma peça . telefonamos pra ele e ele passou aqui em casa. Acertaram o transporte e depois conversamos, rimos um pouco e ele me perguntou se eu queria alguma coisa de São Paulo, pois estava indo a Belzonte e passaria por lá. Foi um susto pra mim pois tinha lembrado um dia antes que estava em cima do prazo para mandar dois quadros meus selecionados para o III Salão de Inverno, que acontece esta epoca em Sampa, com Curadoria de Mali Frota Villas-boas e coordenação da Rose de Paulo. Falei-lhe desta situação mas não aceitei seu oferecimento para levá-los pois entrar em São Paulo para fazer uma entrega em plena sexta -feira não é coisa que se peça a um amigo. Coisa da qual logo depois , me arrependi profundamente pois descobri que nenhum tipo de transporte poria os quadros no outro dia no local da seleção. E a data irrevogável: pois a falha e esquecimento tinham sidos meus. Surpresa minha ao final da tarde , ver o Hilário chegando novamente na minha casa. -"vim buscar os quadros"-disse;" Não aceito um não". A estas alturas,meus brios tinham ido pelo ralo e lá se foi o Mineiro levando minhas telas para a exposição ,um final feliz. Um dos quadros,chamei de Estrutura,
 
 
 
esta coisa que me fascina e está em tudo e no todo. A parte principal que faz com que a arquitetura de qualquer coisa, uma idéia ,um ser ou objeto sejam possiveis. Para que a beleza exista,é necessário a estrutura, o esqueleto, o suporte , sendo as vêzes a parte mais bela do conjunto. Fiquei pensando nisto,assistindo um pequeno documentário com Oscar Niemeyer,no qual ele cita a frase em que diz " não existe arquitetura nova ou velha.existe a boa ou má arquitetura". Frase esta que atribuiu ao arquiteto finlandês Alvar Aalto,que também ,assim como Oscar ,era um aficcionado pela parte estrutural de seus projetos. Coicidência,coicidência. Neste instante recebo dois emails de dois arquitetos amigos. Um deles com uma série de fotos espetaculares da Arquiteta Lia Martins, de sua recente andanças pela Europa. Fotos realmente lindas e cuidadas. Equilibradas e dignas de figurarem em uma revista do ramo. Mas uma em especial me derrubou. A foto da torre eiffel,
 

feita de um ângulo da qual ela aparece de uma meneira que jamais tinha sido vista. Pelo menos por mim. O conjunto da Estrutura na proporção dos prédios antigos e pequenos que a circundam me fez até duvidar que fosse a própria. Lindíssima composição que mostra novamente uma estrutura. Apenas uma estrutura que é bela por si . O outro email ,de outro arquiteto amigo, José Lisboa de Pôrto Alegre me apresenta e fala para ver e reparar na qualidade do blog http://urbanascidadespoa.blogspot.com/. de um terceiro arquiteto, Paulo Bettanin ,seu amigo. Entro no blog e... lá estão elas...
de cara dou com uma série de imagens daquela série espetacular de fotos da construção da estrutura em aço do Empire States Building. É muita coicidência ou sou eu só ando vendo coincidências? Ou é coincidência ter tantos e bons amigos ?
 
Real Time Web Analytics