quarta-feira, 30 de junho de 2010

Bosque

Acrilico sobre tela.  l m45  x 1 m00

segunda-feira, 28 de junho de 2010

TEATRO DA IGREJINHA. -DIA 28 E 29 DE JUNHO.

Era uma vez no Pântano do Gatos


De Marina Carr

Tradução de Alinne Fernandes (Queen´s University Belfast, Santander Universities Network)

Direção : Carmen Fossari





O elenco e a tradutora



Era uma vez no Pântano do Gatos



Uma rara oportunidade do público de Florianópolis e estudantes de Teatro conhecerem a Dramaturgia da escritora Irlandesa mais influente da Irlanda Contemporânea Marina Carr.



Nos dias 28 e 29 de Junho as 20.30, no Teatro da UFSC será realizada uma leitura dramática encenada da peça:Era um vez, no Pântano dos Gatos .



A concepção da direção ambientou a peça, num clima que evoca um pântano, usando para tanto vários recursos a saber:

quarta-feira, 23 de junho de 2010

strangers- short film

Realmente vale a pena ver .


segunda-feira, 21 de junho de 2010

SARAMAGO - pensar,pensar.

                                          PENSAR,PENSAR


Acho que na sociedade actual nos falta filosofia. Filosofia como espaço, lugar, método de refexão, que pode não ter um objectivo determinado, como a ciência, que avança para satisfazer objectivos.Falta-nos reflexão, pensar, precisamos do trabalho de pensar, e parece-me que, sem ideias, nao vamos a parte nenhuma.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO - 1922- 2010

dentro de nós há uma coisa que não tem nome,essa coisa é o que somos."
do blog.matériaincognita.com.br

quinta-feira, 17 de junho de 2010

A CONSCIÊNCIA DE ZENO.

Zeno Cosini é um homem já entrado em anos ,rico de berço,nunca trabalhou na vida. Pelo menos não de fato . Passa boa parte de seu tempo criando diversas formas de mostrar aos outros, amigos,familia etc, que de fato é um empreendedor, responsável e ativo. Na verdade sua preocupação são outras bem distintas. Mulheres e sua saúde. Hipocondríaco ,tenta desesperadamente deixar de fumar. Na realidade, assim como em relação ao trabalho, nada mais faz do que se enganar e enganar aos outros. Assim,lentamente e com uma honestidade espantosa, Zeno Cosini vai nos revelando sua vida medíocre, egoísta. Seu enorme egocentrismo e mau-caratismo. Aparentemente um bom homem. Na realidade uma criatura vil . Mas engana bem. A todos ,inclusive a si próprio. Personagem principal do romance de Italo Svevo, codinome de Aron Hector Schmitz . Saudado na época de sua publicação como obra prima por seu principal fã e encorajador James Joyce .O autor não tem a menor complacência com seu personagem. Não transige em nenhum momento. Num processo de análise em um divã (entre outras coisas Svevo foi tradutor de Freud de quem era amigo.) Vai despindo-o de todas suas defesas, desculpas, e outros disfarces que usa para aparentar ser o que não é , nem nunca foi. Embora a gente se surpreenda torcendo para sua redenção , seja um gesto ou uma pequena atitude, ela não vem. O autor cria com rara felicidade um personagem que nós todos conhecemos. As vêzes bem demais.

terça-feira, 15 de junho de 2010

A MAIOR BRONCA QUE JÁ TOMEI.

Tínhamos aula de Fisiologia na escola de medicina, logo após a semana da Pátria. Como a maioria dos alunos havia viajado, aproveitando o feriado prolongado, todos estavam ansiosos para contar as novidades aos colegas e a excitação era geral. Um velho professor entrou na sala e imediatamente percebeu que iria ter trabalho para conseguir silêncio. Com grande dose de paciência, tentou começar a aula, mas você acha que minha turma correspondeu? Que nada. Com um certo constrangimento, o professor tornou a pedir silêncio educadamente. Não adiantou. Ignoramos a solicitação e continuamos firmes na conversa. Foi aí que o velho professor perdeu a paciência e deu a maior bronca que eu já presenciei. Veja o que ele disse. - "Prestem atenção porque eu vou falar isso uma única vez", disse, levantando a voz, e um silêncio carregado de culpa se instalou em toda a sala e o professor continuou. - "Desde que comecei a lecionar, isso já faz muito anos, descobri que nós professores, trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que, de cada cem alunos, apenas cinco são realmente aqueles que fazem alguma diferença no futuro; apenas cinco se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; são medíocres e passam pela vida sem deixar nada de útil. O interessante é que esta porcentagem vale para todo mundo. Se vocês prestarem atenção, notarão que, de cem professores, apenas cinco são aqueles que fazem a diferença; de cem garçons, apenas cinco são excelentes; de cem motoristas de táxi, apenas cinco são verdadeiros profissionais; e podemos generalizar ainda mais: de cem pessoas, apenas cinco são erdadeiramente especiais. É uma pena muito grande não termos como separar estes 5% do resto, pois, se isso fosse possível, eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para dar uma boa aula e dormiria tranqüilo, sabendo ter investido nos melhores. Mas, infelizmente não há como saber quais de vocês são estes alunos. Só o tempo é capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que estará sendo feita pelo resto. Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá. Obrigado pela atenção e vamos à aula de hoje". Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Fisiologia durante todo o semestre. Afinal, quem gostaria de espontaneamente ser classificado como fazendo parte do resto? Hoje não me lembro muita coisa das aulas de Fisiologia, mas a bronca do professor eu nunca mais esqueci. Para mim, aquele professor foi um dos 5% que fizeram a diferença em minha vida. De fato, percebi que ele tinha razão e, desde então, tenho feito de tudo para ficar sempre no grupo dos 5%, mas, como ele disse, não há como saber se estamos indo bem ou não. Só o tempo dirá a que grupo pertencemos. Contudo, uma coisa é certa: se não tentarmos ser especiais em tudo que fazemos, se não tentarmos fazer tudo da melhor forma possível, seguramente sobraremos na turma do resto.
O presente texto me foi remetido pelo Professor Luciano Camargo Martins, Fisica da UFJOIVILLE. 100% pertinente.

O CUIDADOR - 10

EDITORIAL (resumo)Os cuidadores e suas crianças são nosso foco nesta décima edição. O que fazer quando o pai, que deveria cuidar, é quem machuca? Onde buscar segurança quando tudo parece desabar? Há cuidadores invisíveis? É preciso coragem para penetrar num problema e lutar, brigar - se for preciso - enfrentar! Mães e pais, onde suas vozes? Há políticas. Direitos, leis. Confira na dica de leitura: a rede institucional nos CAPS. Comunicar-se no brinquedo. Observar e envolver-se possibilita conhecer o outro e a si mesmo: interação de mundos. Confira o depoimento de uma fisioterapeuta, que se envolve afetivamente no seu trabalho. Quebra paradigmas e acerta? Os negros cuidadores apesar da escravidão, da exclusão. Seriam o cuidado e a empatia uma marca de quem passa pela dor ou são próprios do ser humano? O acolhimento? Há muitos grupos multidisciplinares na área pública e no terceiro setor. A ONG Parceiros Voluntários passa a apoiar a O Cuidador, que trará, a cada edição, o depoimento de um voluntário que atua em um dos tantos grupos que a integram. Há quem diga que o ser humano é o maior patrimônio de uma empresa. Mesmo assim muitos afirmam que o empresário não é cuidador. Veja a carta instigante de um deles. Em agendas de tantos compromissos, o cuidar é um a mais? Até onde vai a sua responsabilidade pelo outro? E descubra outras formas de autocuidado nos livros. Os escritores e seu papel na humanidade. A companhia e o autoconhecimento através da literatura. Cuide-se brincando com as palavras. Com a poesia? Aprenda a polir estrelas.Boa leitura!Abraço carinhoso, Marilice Costieditora@ocuidador.com.br

segunda-feira, 14 de junho de 2010

VAI A FOTO DE NOVO !!!


Procurando por um amigo para mandar um recado pelo Orkut,notei naquele canto em que ficam as fotos das pessoas ,a foto de um trabalho meu.Achei estranho pois não posto fotos no orkut.Fui ver de perto e era coisa do Aldo! Poeta Aldo Votto!! Foto postada na capa de sua página e ainda me chamando de artista! Que bela homenagem.Ainda mais vindo de um Gentleman ! Bons amigos que nos enchem a bola! Cresci meio-palmo! Então ,exibido que fiquei,vou mostrar a foto de novo.Brigadão!

sábado, 12 de junho de 2010

PRA QUEM NÃO ACREDITA SER POSSÍVEL

foto de Ricardo Stricher
Rua Gonçalo de Carvalho .A primeira rua pública declarada patrimônio histórico,cultural , ecológico e ambiental em Porto Alegre.O envolvimento de moradores e simpatizantes contra a construção de um edificio- garagem foi coroada de êxito .Não sem muita e muita luta Contra o poder da grana e dos que se lixam pra natureza.Bom saber que ainda tem gente que não desiste.Não foi fácil.Conheçam a história dos moradores para preservar esta rua no blog amigos da rua gonçalo de carvalho resistir é preciso.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

PEIXE.

acrilico sobre tela. 1m12 x 0m76

quinta-feira, 3 de junho de 2010

CONCERT FOR GEORGE

O espetacular show que reuniu Paul McCartney, Jeff Lynne,Eric Clapton, Tom Petty,ringo Star, o quinto beatle Billy Preston e mais toda uma geração de velhos e novos roqueiros no show realizado no Royal Albert All em Londres em 2002 em homenagem póstuma a George Harrison. video video enviado por Zé Lisboa de Porto Alegre.
 
Real Time Web Analytics