quarta-feira, 7 de julho de 2010

COPA FIFA 2014 NO BRASIL.-DANILO KAHIL DO BLOG CIDADÃO DANILO

Sediar uma Copa do Mundo significa grandes investimentos em infra-estrutura e logística. Parte dos investimentos em infra-estrutura é bancada pelos governos federal, estadual e municipal, porém são obras que se bem planejadas, servirão a toda a população. Os demais investimentos devem se da iniciativa privada. O estado não tem que construir estádios por exemplo. O que pode fazer para ajudar todos os investimentos é uma renúncia fiscal como a já anunciada pelo governo federal onde obras relacionadas à infra-estrutura da Copa 2014 terão isenção de impostos na compra de alguns materiais.

Em São Paulo é grande a discussão sobre a abertura da COPA 2014 e o fato da FIFA não aprovar a reforma proposta pelo São Paulo Futebol Clube para o estádio do Morumbi. É inadmissível a maior cidade do país não abrir a COPA e ainda não sediar nenhum jogo… Divergências políticas entre dirigentes da CBF e dirigentes do SPFC mais a omissão dos governos estadual e municipal, geraram um grande problema.

O prefeito Kassab, agora pretende construir um novo estádio, o “Piritubão”. Se não tiver dinheiro público, tudo bem. Não acredito que tenha empresários interessados em construir um estádio para ser utilizado em um mês… Vai ser um novo “Engenhão”. Depois de construído o governo do RJ alugou pro Botafogo por uma “merreca”, não servirá para a COPA 2014 e não conta com recursos para competições de atletismo para plena utilização nos jogos Olímpicos de 2016.

O que precisa ser discutido é o modelo da COPA que está ultrapassado e demanda investimentos altíssimos. Os jogos não deveriam acontecer em único país. A COPA na realidade começa nas eliminatórias, e os jogos são realizados nos países que competem. Deveria continuar assim até a final, ou então que se eleja um país sede para os jogos da semifinal e final.

O modelo atual da competição é o mesmo desde seu início, quando era necessário reunir todas as equipes em único local. Hoje com toda a infra-estrutura aeroportuária é perfeitamente possível que os jogos aconteçam em diversos países.

O modelo da competição utilizado pela FIFA é arcaico e precisa evoluir a um modelo próximo da Fórmula 1.

A FIFA já administra competições nesse modelo que é o caso da Copa Libertadores, onde os jogos acontecem nos países que estão competindo. O modelo poderia ser o mesmo da Libertadores ou um misto, com semifinal e a final acontecendo num país sede.

Já temos muitos países que foram sede da COPA e podem perfeitamente receber jogos. Demais países participantes precisariam de no mínimo um estádio nos padrões exigidos pela FIFA.

Muitos torcedores poderiam acompanhar ao vivo os jogos de sua seleção com bem menos gastos. Seria muito mais democrático e menos dispendioso a todos.

No modelo atual a COPA não é um campeonato, é um torneio. Para ser um campeonatos, as eliminatórias regionais já seriam a COPA. A bola seria sempre a mesma sem a surpresa da Jabulani e quem sabe os velhinhos trapaceiros da FIFA aceitem tecnologia para acabar com a incompetência e desonestidade dos árbitros e os jogadores respeitassem mais as regras e os adversários.

4 comentários:

  1. ok, vc tem toda razão, e agora o q fazer então?

    ResponderExcluir
  2. Danilo Kahil: ok, então vc tem toda a razão, o q fazer então...?

    ResponderExcluir
  3. O tema não foi discutido na época e agora é questionado... A imprensa sempre chega tarde, os "engenheiros de obras prontas" agora descobriram que o modelo da competição está errado, mas ainda não sugeriam nenhuma alternativa... É só protesto da "Horda do Queremismo". Precisamos questionar o modelo da competição e não acabar com a Copa. Quem gosta do futebol não precisa ser linchado!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No que concordo em grau e número contigo,Danilo.

      Excluir

 
Real Time Web Analytics